POST

Ilha Grande, um lugar especial no Rio

Ilha Grande é um dos meus lugares preferidos no Estado do Rio. A ilha, que literalmente é grande, possui mais de 100 praias (considerando também as pequenas faixas de areia visíveis apenas com a maré baixa e, muitas vezes, despercebidas por quem navega pela costa) e área de 193 km². A região é bastante visitada -- principalmente por turistas estrangeiros, que chegam a responder por mais da metade do lucro dos agentes locais -- mas sempre esbarro com cariocas viajados que não conhecem Ilha Grande. Então, aqui vão algumas dicas para que todos se empolguem em conhecer esse paraíso repleto de belezas naturais. :)

Como chegar?

Tudo vai depender do local que você escolher para se hospedar. No mapa abaixo, é possível ver para quais destinos você consegue ir a partir de cada lugar de embarque.

Da cidade do Rio, a opção mais perto para pegar a barca é Mangaratiba, que fica aproximadamente a 100km de Ilha Grande. A desvantagem é que só existe um horário de barca, às 8am (com exceção de sexta-feira que também tem saída às 22h), e as escunas não têm horário nem saída garantidos. Em feriados ou alta temporada, isso não será um problema, porém pode ser complicado em dias menos movimentados. É possível ir para Mangaratiba de ônibus -- que sai da rodoviária Novo Rio e deixa na frente do píer -- ou ir de carro, e deixá-lo em um dos estacionamentos ali perto (as diárias custam em torno de R$30). Outras opções são: 1) por Conceição de Jacareí, que possui muitas opções de escunas; 2) por Angra dos Reis, com barca às 15h30 nos dias úteis ou 13h30 nos finais de semana e feriados; e 3) pelo Cais de Paraty, com barco rápido às segundas, quartas e sextas-feira (o retorno para Paraty está sujeito à confirmação pela operadora porque, pois é uma rota nova com pouco fluxo de viajante). Onde ficar? O lugar com mais estrutura é a praia de Abraão, onde se encontram campings, albergues, pousadas e restaurantes para todos os bolsos, além de lojas, agências de turismo, mercadinhos e até casa de câmbio. É comum encontrar música ao vivo nos restaurantes, um forrózinho ou alguma festa em épocas mais movimentadas. Se você prefere algo mais simples, pode ficar nos campings em Palmas, Pouso ou Aventureiros (há também a opção de alugar quarto em casa de moradores). Costuma ficar bem vazio fora de temporada, mas se está afim de ficar em local ainda mais isolado, pode optar por Araçatiba ou Bananal, que são localidades sem atividade noturna nenhuma. O que fazer?

É possível conhecer as praias pelo mar ou por trilhas. Pelo mar, existem escunas que fazem trajetos menores, como de Abraão à Praia do Pouso (para quem quer conhecer a famosa praia de Lopes Mendes, consideradas uma das mais bonitas do Brasil) por R$30. Existem também passeios de barco, que custam entre R$70 e R$120 por pessoa e duram cerca de 6 horas aproximadamente, passando por diversas praias. As opções mais comuns são: - Volta à ilha: Caxadaço, Dois Rios (panorâmica), Parnaioca, Aventureiro, Praia dos Meros, Saco do Céu e Lagoa Verde. - Meia volta: Praia da Feiticeira, Saco do Céu (praia do Amor), Lagoa Azul, Maguariquessaba (enseada Sítio Forte) e Lagoa Verde.

- Super sul: Ilha de Jorge Grego, Praia de Dois Rios (praia do antigo presídio da Ilha Grande) e a praia do Cachadaço e Lopes Mendes.

Se você prefere caminhar, existem diversas opções que podem ser encontradas no mapa como esse abaixo:

As trilhas têm diferentes distâncias e níveis de dificuldade. É sempre bom se informar antes, pois a maioria não tem caminho bem marcado. Uma das mais famosas é o Pico de Papagaio, que é uma trilha difícil, mas que o esforço vale a pena pela linda vista de toda a ilha. Melhor época? Como qualquer lugar de praia, a alta temporada é no verão (dezembro, janeiro e fevereiro), porém, mesmo que você não pegue um dia com muito sol, ir no inverno tem suas vantagens: as praias ficam vazias e é possível encontrar diárias por preço mais em conta. Aproveitem!

#Brasil #RiodeJaneiro #Praia #IlhaGrande

Posts recentes