POST

Ao redor da encantadora Islândia


Na tradução, Islândia significa Terra de Gelo, o que é bem verdade, já que seu inverno é bem rigoroso e o país fica todo branquinho, coberto de neve. Mas também seria justo dizer que é a terra das cachoeiras, dos vulcões, dos gêiseres, das rotas cênicas, da aurora boreal e de tantos outros lugares incríveis, que tornam esse país realmente encantador.

É aquele tipo de viagem para alugar um carro e cair na estrada com alguns lugares para visitar, mas com a certeza que será surpreendido por tantos outros, já que boa parte da beleza do país está no caminho e o que não faltam são mirantes com mesas de piquenique para fazer uma paradinha estratégica com uma bela vista para apreciar.

Nós começamos pela capital Reykjavík e seguimos em sentido anti horário, percorrendo cerca de 3 mil quilômetros ao longo de 11 dias, quase sempre dormindo em lugares diferentes a cada noite.

Dividimos o roteiro separando as principais atrações que gostaríamos de ver em cada dia e já com a hospedagem reservada em a algum local próximo que, na maioria das vezes, era apenas uma casa no meio do nada ou um vilarejo muito simples, que as vezes não tinha nem opção de restaurante para jantar.

Mas o que também favorecia para ver a tão desejada aurora boreal, do próprio quintal da hospedagem.

(Dica: reserve suas hospedagens com o Utópicos Mundo Afora e consiga ótimas tarifas, pagamento em reais com câmbio congelado no momento da compra e parcelamento em até 12x sem juros na maioria dos hotéis)

Por falar em aurora, impossível não se entusiasmar com essa possibilidade quando se planeja uma viagem para a Islândia. E se você não estava empolgado até então, vai acabar se envolvendo ao ver fotos incríveis em cada lugar que passar.

Claro que é preciso sorte, já que depende de questões climáticas, mas quando se aprende a usar o mapa das previsões de nuvens e Kps, já fica mais fácil prever como será a noite e, se for o caso, vale a pena dirigir em busca dos locais mais prováveis e fazer uma “caça a aurora” (ou contratar um tour que faça isso).

Demos muita sorte e pegamos uma semana de muita atividade, inclusive com o que eles chamam de “tempestade de aurora” e por isso, tivemos o privilégio de assistir esse espetáculo em várias noites, com intensidade variada.

Nas primeiras vezes, a aurora foi mais discreta, ficando verde por pouco tempo mas nos dias de maior intensidade, foi como um show de luzes dançando em todos os lados que olhávamos, variando nos tons de verde e com algumas pinceladas roxas e amarelas. A impressão que tivemos é que elas estavam ali bem em cima das nossas cabeças e foram projetadas exclusivamente para gente. Não tem como não se sentir um privilegiado depois disso.

Sobre o nosso roteiro

Falando um pouquinho mais do nosso roteiro, os primeiros dias foram bem intensos, pois concentravam inúmeras atrações e todas elas eram imperdíveis. E pela proximidade com a capital, eram locais bem mais cheios de turistas, até por conta das excursões que saem de lá, o que tornavam as paradas um pouco mais demoradas.

Seguindo para o norte, o caminho vai se revelando, a paisagem vai ficando mais bonita e o fluxo de pessoas começa a diminuir. E principalmente por isso, indico o sentido anti horário para quem vai fazer de carro.

De uma forma bem resumida, nosso roteiro foi mais ou menos assim:

Dia 1: Circulo Dourado + cratera Kerid

Dia 2: Cachoeira Seljalandsfoos + cachoeira Skogafoss + Solheimasandur Plane Wreck + Dyrhólaey + Vik

Dia 3: Cânion Fjadrargljufur + geleira Skaftafell + lagoa de icebergs + praia de diamantes

Dia 4: Stokksnes + cânion Studlagil + gêiser Hverdarond (e várias paradas no caminho)

Dia 5: Cratera Hverfjall + caverna Grjótagjá + cratera Krafla + cachoeira Dettifoss

Dia 6: Cachoeira Godafoss + cidade de Akureyri (e várias paradas no caminho)

Dia 7: Parte dos fiordes Oeste com várias paradas no caminho até Holt

Dia 8: Outra boa parte dos fiordes Oeste com muitas paradas + cachoeira Dynjandi

Dia 9: montanha Helgafell + montanha Kirkjufell

Dia 10: cratera Saxholl + penhascos e formações rochosas Djupalonssandur, Londrangar, Hellnar + Arnarstapi + montanha Sneffels

Dia 11: Reykjavik

Talvez pelas cachoeiras gigantes, ou pela diversidade de atrações, pela surpresa da paisagem em algumas estradas mais remotas ou pelo espetáculo da aurora (provavelmente por tudo isso junto e pela companhia da minha família linda <3 ), a Islândia entrou na lista dos lugares mais incríveis que já conhecemos e foi uma viagem super especial.

Quer mais dicas para montar seu roteiro?

Escreve pra gente! reservas@utopicosmundoafora.com

O Utópicos ajuda a montar um roteiro personalizado cheio de dicas especiais pra quem fecha a viagem com a gente!


Posts recentes

Parceiros