Caminhada para uma das mais belas vistas da cidade do Rio de Janeiro

Patagônia, o paraíso dos montanhistas

Sabe quando a gente tem uma lembrança e não sabe direito quando e como aconteceu? Foi o que aconteceu comigo quando cheguei à Patagônia. Quando bati os olhos em suas montanhas, me veio à cabeça uma foto que vi quando ainda criança, e me lembrei de ter prometido que visitaria aquele lugar. A realidade não ficou nem um pouco atrás de toda a expectativa -- a Patagônia foi, sem dúvida, um dos lugares mais encantadores que já visitei, numa viagem maravilhosa que durou 12 dias e cerca de 125 km de caminhada. Localizada entre Chile e Argentina, a Patagônia é enorme e precisa de mais do que 2 semanas para conhecê-la a fundo, mas uma boa opção para quem não tem muito tempo é o roteiro: Ushuaia - Parque Torres del Paine (circuito W) - El Calafate - El Chaltén.


O avião nos leva diretamente à Ushuaia. Com seu centrinho simpático, que dá para fazer tudo a pé, a cidade é uma delícia. Por lá fizemos o clássico passeio de barco pelo Canal de Beagle e conhecemos o Parque Nacional Terra del Fuego e suas trilhas, caminhando aproximadamente 15 km.


Parque Nacional terra del Fuego

Fui de Ushuaia a Puerto Natales (cidade de partida para Torres del Paine) de ônibus. Existe também a opção de comprar a passagem aberta, com um voo intermediário de Ushuaia para El Calafe, porém, como já estava meio em cima e a passagem cara, precisei encarar 15 horas de ônibus. Passamos o dia no ônibus e chegamos ao destino às 21h.


Dica 1: Reserve o ônibus com antecedência pois são poucas as empresas que oferecem o serviço. Fechei com a Tolkeyen Patagonia Turismo e custou AR$ 715 (valores de Janeiro/2014). É necessário trocar de ônibus em Punta Arenas (são 3 horas antes de Puerto Natales) e, quem tiver tempo e interesse, pode passar uma noite lá e fazer o passeio a Ilha Magdalena para ver os pinguins.


Dica 2: Se você pretende comprar comidas para levar ao Parque, fique atento ao horário do único super mercado da região. Dentro do parque é fácil encontrar restaurantes e mini lojinhas, porém o preço é salgado.


No dia seguinte, pegamos o ônibus das 7h30 que leva ao Parque. Na própria rodoviária é possível comprar a passagem e vale a pena dar uma voltinha antes para pesquisar os preços. São 2 horas até o primeiro ponto de parada dentro do parque, e o ônibus costuma sair em 2 horários diferentes, tanto na ida quanto na volta. Ficamos 4 dias no parque, o suficiente pra fazer o Circuito W tradicional (leia mais sobre o Circuito W aqui). Fiquei absolutamente maravilhada com as paisagens que fui descobrindo durante os mais de 70 km do circuito -- se você não é muito chegado a trilhas, não desanime, pois o parque oferece diversas opções através do ônibus interno e de passeios de barco!


(Confira aqui mais dicas sobre o Parque Torres del Paine e o Circuito W)

Voltamos para Puerto Natales no final do 4º dia do circuito, e na manhã seguinte pegamos outro ônibus para El Calafate. Fomos em ônibus regular, que fechamos na própria rodoviária (existem algumas empresas que fazem esse serviço, mas é um pouco mais caro) e durou cerca de 6 horas. El Calafate é uma cidade gostosinha, com ótimos restaurantes a preços acessíveis, deliciosas sorveterias e lojas para comprar chocolates e doce de leite. A grande atração por lá é o Perito Moreno, um glaciar de 250 km² de superfície e 30 km de extensão, sendo a 3ª maior reserva de água doce do mundo. Ele fica a 80 km de El Calafate e é possível comprar o transporte em agências na rua principal ou na própria rodoviária. Além de observar o Glaciar através das passarelas, você pode optar pelos serviços extras que são: Mini trekking ou Big Ice (caminhadas de diferentes intensidades sob o gelo com grampones, e que funcionam em diferentes meses no ano) e o passeio de catamarã para ver o Glaciar mais de perto. Existem outros glaciares na região -- que não conhecemos por acharmos que seriam inferiores ao Perito Moreno -- mas, na minha opinião, El Calafate não merece tanto tempo de permanência quanto as outras cidades, pois existem poucas opções de passeio.


De lá, partimos para nosso último destino: El Chaltén. Há 3h de ônibus de El Calafate, é uma cidade que faz jus à fama de capital do trekking e merece mais tempo para aproveitar as diversas opções de trilhas. Na entrada da cidade, o ônibus para num posto de informações onde entregam um mapa do Parque. Como não tínhamos muito tempo, demos preferência à trilha para Laguna de los Tres -- base do famosíssimo Fitz Roy -- passando pelas Lagunas Madre e Hija na volta.


O caminho é quase todo tranquilo, mas bem íngreme no final, o que torna a vista ainda mais especial quando se chega ao topo. O Parque é absolutamente maravilhoso, sua visita vale muitíssimo a pena. Com lindos lagos e montanhas cobertas de neve, foi o lugar perfeito para fecharmos essa linda viagem com chave de ouro! :)


(Em breve post sobre El Chaltén)

Querendo viajar e precisa de ajuda para seu roteiro? Fechando sua passagem ou hospedagem com a gente, te ajudamos a montar seu roteiro de forma personalizada sem custo adicional nenhum. Entre em contato com a gente!

#Patagônia #Trekking #ParqueNacional #AméricadoSul

Posts recentes

Parceiros